Vasco quita salários de Marrony para evitar rescisão na Justiça

Com a possibilidade de perder o vínculo com Marrony na Justiça, o Vasco colocou em dia tudo o que devia ao jogador. Entre segunda e terça-feira, o clube depositou mais de R$ 800 mil na conta do atleta, referente a quatro meses de salários atrasados, além de nove meses de direitos de imagem.

O depósito, no entanto, não interfere na negociação com o Atlético-MG. O Vasco apenas se protegeu para eliminar a possibilidade de Marrony buscar a liberação na Justiça por conta dos salários atrasados. Sem acordo até segunda, o staff do jogador cogitou a possibilidade.

Pela legislação, qualquer jogador pode pedir a rescisão unilateral na Justiça com três meses de atraso salarial. No caso de Marrony, a dívida era de nove meses de direitos de imagem (desde setembro de 2019) e de quatro meses de CLT (desde fevereiro de 2020).

Vasco e Atlético-MG seguem negociando, e há a possibilidade de um desfecho nas próximas horas. A forma de pagamento, no entanto, ainda é um impasse. Os clubes entraram em acordo em relação ao valor (pouco mais de R$ 20 milhões), mas o Vasco deseja ao menos 75% do valor à vista e não aceita pagar juros de um eventual adiantamento.

Fonte: GloboEsporte.com

admin

COMENTAR