Vasco quita salários com dinheiro de Marrony, veja os detalhes dos pagamentos

O GloboEsporte.com apurou alguns detalhes em relação à compra do jogador pelo clube mineiro, que tem Rubens Menin, empresário que detém parte da MRV Engenharia, entre outras empresas, como forte parceiro neste e em outros negócios. O atleticano é responsável integral pelo pagamento dos R$ 20 milhões, em valor acertado pelos clubes pela transação. O Atlético comprou 80% dos direitos econômicos. Há um bônus previsto para o futuro: quando Marrony completar 30 jogos pelo Galo, o clube precisa pagar mais R$ 1 milhão.

Venda de Marrony, entenda detalhes

O Vasco anunciou ter vendido 56% dos direitos econômicos. Do valor total (contando o bônus de 30 jogos), cabe ao time de São Januário a importância de R$ 16,4 milhões – dinheiro a ser recebido à vista e que será destinado ao pagamento de salários atrasados. Dos 20%, o Vasco fica ainda com 14% – os outros 6% são do Volta Redonda.

A repactuação dos direitos fez com que a negociação tivesse um gatilho: o Atlético-MG tem até o início de 2023 para comprar os 20% restantes por 1,5 milhão de euros (R$ 8,7 milhões na cotação atual). Caso não opte até lá, tem a obrigação de o fazê-lo por 1 milhão de euros (R$ 5,8 milhões na cotação atual).

Marrony é o terceiro jogador contratado pelo Atlético desde o início da pandemia. Antes, o clube também fechou com os volantes Léo Sena (ex-Goiás) e Alan Franco (ex-Independiente del Valle).

A nota oficial do Vasco

“O Club de Regatas Vasco da Gama acertou nesta segunda-feira (15/06) a venda ao Atlético-MG de 56% dos direitos econômicos do atacante Marrony. O Clube mantém ainda 14% destes direitos, pelos quais há uma obrigação de compra do clube mineiro caso o mesmo não venda o atleta até o inicio de 2023. Profissional desde 2018, Marrony disputou 84 jogos com a camisa cruzmaltina, tendo marcado 11 gols. Ele assinará contrato com seu novo clube tão logo seja aprovado nos exames médicos.”

admin

COMENTAR