Quando volta o Campeonato Carioca? Se depender da FFERJ e de Bolsonaro dia 17 de maio, mas…

Governo Federal e a Federação de Futebol do Rio de Janeiro, a FFERJ, se contrapuseram às autoridades locais e estaduais no Rio de Janeiro e querem que o futebol retorne imediatamente aos treinos e as competições poderiam voltar dia 17 de maior. Entretanto, a guerra contra o Coronavírus tem afetado toda a economia e, claro, também os times de futebol. Em verdadeira batalha para não perder as receitas da TV, os clubes do Rio, incluindo Vasco, Botafogo, Flamengo e Fluminense, agora estariam liberados para voltar aos treinos.

Cabe lembrar que os times italianos já voltaram aos gramados, mas de forma completamente isolada. O governo federal é a favor da volta e, atendendo aos anseios do presidente da república,  a Federação de futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) divulgou neste domingo um comunicado (veja na íntegra no fim da matéria) autorizando os clubes a retomarem os treinos em seus centros de treinamento durante a pandemia do coronavírus, desde que atendam aos três pilares abaixo:

Entretanto, o prefeito e o governador não são a favor da volta agora e VETARAM!

PREFEITO DA CAPITAL E GOVERNADOR DO ESTADO VETAM VOLTA AOS GRAMADOS

Apesar do presidente da FFERJ, Rubens Lopes, atender o anseio das autoridades federais, as autoridades estaduais, que neste caso têm a palavra final vetaram a liberação. Nem a prefeitura e nem o governo do Estado, aprovaram a volta agora aos gramados.

Segundo a prefeitura, os CTs são espaços que podem gerar aglomerações e por isto mesmo, não podem ser usados, até novo decreto estadual ou municipal. Por conta disto, não será desta vez que o Vasco voltará aos gramados para treinos. AO final do artigo, você poderá ver a resolução completa da FERJ sobre o assunto. Para complicar ainda mais aqueles clubes que ainda não querem voltar, ou voltar apenas com segurança médica, como o Vasco, a dupla Grenal, Grêmio e Internacional voltaram hoje aos gramados de futebol.

Apenas treinando fisicamente e isolados, cada jogador sem contato próximo com o colega, jogadores de Internacional e do Grêmio retornaram. A ressalva ficou mesmo para Renato Gaúcho que é cardíaco operado e faz parte do Grupo de Risco para o Coronavírus. O treinador acabou não viajando do Rio (onde cumpre isolamento) para Porto Alegre, a pedido, que foi atendido imediatamente pela diretoria do Grêmio.

Veja a resolução da Ferj: