A história de De Bruyne

Alguns jogadores de futebol constroem suas carreiras sem alarde, numa progressão de extrema naturalidade. Não são considerados prodígios ainda nas fraldas das categorias de base, tão pouco geniais. Este tipo de jogador é habilidoso e muito disciplinado taticamente, está sempre empenhado em esmerar os fundamentos e, não raro, é visto treinando solitariamente. Este é o caso do belga Kevin De Bruyne, uma evolução constante, ao contrário de muitos meteoros que se apagaram tão bruscamente quanto surgiram.

kevin De Bruyne
SIGA-NOS google news siga-nos

kevin De Bruyne

Nascido na cidade de Drongen, em 28 de junho de 1991, De Bruyne logo cedo revelou jeito com a bola nos pés. Ainda aos seis anos de idade, ingressou na escolinha de futebol do KVV Drongen, clube no qual permaneceu até 1999. Neste ano, De Bruyne ingressou na categoria infantil do Gent e por lá ficou até 2005.

Por estes tempos, todos já tinham percebido que De Bruyne era diferenciado, estava sempre em progressão, sempre disposto a aprender e treinar muito. Sua transferência para o Genk em 2005, foi bastante festejada, pois seria o clube a profissionalizá-lo e lançá-lo como jogador de ponta. Promovido à equipe principal no início da temporada 2008–09, só foi jogar de verdade meses mais tarde; estreou perdendo, 3 a 0 para o Charleroi, mas já era possível ver em campo um jovem de muito futuro. Pela equipe do Genk, De Bruyne conquistou seus primeiros títulos, uma Copa da Bélgica na temporada 2008/09, um campeonato belga em 2010/11 e uma Supercopa da Bélgica em 2011. Já era o caso de abrir uma agenda na futdados para assinalar seus feitos.

A essa altura do campeonato, muitos clubes europeus estavam ansiosos em tê-lo nos seus meios de campo, mas foi o time do Chelsea quem o contratou em 31 de janeiro de 2012. Aos vinte anos de idade, De Bruyne chegava na casa de um dos gigantes do futebol mundial. Sempre disposto a aprender, declarou “ir para um time como o Chelsea é um sonho, mas agora eu tenho que trabalhar para alcançar o nível que é necessário para jogar aqui”. Se atingiu ou não este nível não deu muito para apurar, pouco aproveitado pela equipe inglesa, logo em agosto daquele mesmo ano, foi emprestado para o Werder Bremen da Alemanha.

No Werder, De Bruyne teve uma temporada particularmente exitosa, aproveitando muito bem as oportunidades e sempre demonstrando evolução. Regressou ao Chelsea em 2013 e, logo de cara, na  partida em que marcou seu primeiro gol pelo Chelsea, lesionou o joelho, em um amistoso de pré-temporada contra o Malaysia XI. A recuperação foi rápida e o belga fez sua reestreia no primeiro jogo da temporada 2013/14 da Premier League contra o Hull City, dando uma assistência para o primeiro gol na vitória por 2 a 0. 

A Alemanha cruza o caminho de De Bruyne, mais uma vez. Em 18 de janeiro de 2014, o Wolfsburg anuncia sua contratação, em uma transação de 18 milhões de libras. A temporada foi um sucesso!  O Wolfsburg foi vice-campeão na temporada da Bundesliga ganhando, deste modo, o direito de participar, diretamente, da Liga dos Campeões da UEFA de 2015/16. De Bruyne foi o líder de assistências na Bundesliga de 2014/15, atingindo a impressionante marca de 20 assistências. De quebra, o belga foi eleito o melhor jogador da temporada alemã. Em 20 de outubro de 2015, apareceu na lista dos melhores de 2015.

Em agosto daquele 2015 mágico, De Bruyne retorna à Inglaterra, desta vez contratado por outro gigante, o Manchester City, pela fabulosa quantia de 54 milhões de libras, um recorde, então. Já são seis temporadas pelo City, mais de 250 partidas e títulos importantes: três campeonatos da Premier League, quatro Copas da Liga Inglesa e uma FA Cup. Na temporada 2017/18, o City foi o primeiro clube a conseguir cem pontos na temporada e toda a imprensa destacou a sua importância nessa conquista histórica. Além das conquistas coletivas, De Bruyne foi eleito jogador do ano do Manchester City por duas vezes, em 2016 e 2018. Na Champions League, temporada 2020/21, foi um dos maiores destaques da excelente campanha do clube; vice-campeão em uma final inglesa disputada contra o Chelsea. No Estádio do Dragão, os azuis foram derrotados por 1 a 0.

Pela seleção da Bélgica, De Bruyne vem se destacando ano a ano, campeonato a campeonato como um jogador decisivo, dono de um passe preciso, infiltrações e gols sempre marcantes. Na Copa do Mundo FIFA, 2018, foi titular absoluto em seis dos sete jogos na conquista de um terceiro lugar inédito. De Bruyne assinalou o segundo gol da vitória sobre a seleção brasileira por 2 a 1 nas quartas de final. 

Aos 30 anos de idade, o belga ainda tem muito chão pela frente. Talento e disposição não lhe faltam para angariar mais títulos e ainda mais notoriedade.

admin

COMENTAR